Lançamento: EP Vaia da Laia Gaiatta

ep-vaia-capa

português.

Vaia é o primeiro EP do trio soteropolitano Laia Gaiatta. O trabalho é um retrato do que foi desenvolvido em 3 anos de grupo. Muito laboratório, pesquisa, troca de referências, os arranjos foram se construindo lentamente assim como a forma de tocá-los.
Vaia apresenta dois blues-rocks: Pátria Mingau e Peixebook (essa última com letra de Maurício Ribeiro) – intercalados pelo samba-anomalia Circo Pobre (em parceria com Glauber Guimarães).
Esse samba estranho, difícil de dançar, dividindo o EP em dois extremos parecidos, é, na verdade, uma pequena provocação. Desfaz a ideal atmosfera homogênea, cortando e separando o núcleo e recheando-o com uma pasta desforme. Isso é o que analogamente ocorre com as influências pessoais de cada integrante da Laia Gaiatta. e é o que conceitualmente o grupo desenvolve, usando a matéria prima do delta blues para transfigurações diversas.
Vaia será lançado virtualmente no dia 19 de novembro de 2016 pelo Sê-lo! Netlabel, seguido de um show no Rio de Janeiro (29 de novembro na Audio Rebel) e shows em São Paulo.

english.

Vaia (Boo) is the first EP of the Bahia`s trio Laia Gaiatta. The work is a picture of what was developed in 3 years of the group. A lot of laboratory, research, exchange of references. The arrangements were slowly building up as well as the way of execute them.
Vaia presents two blues-rocks: Pátria Mingau and Peixebook (this last one with lyrics by Maurício Ribeiro) – interleaved by the samba-anomaly Circo Pobre (in partnership with Glauber Guimarães).
This strange samba, hard to dance, dividing the EP into two similar extremes, actually is a small provocation. Undoes the ideal homogeneous atmosphere, cutting and separating the core and stuffing it with a deformed paste. This is what similarly occurs with the personal influences of each member of Laia Gaiatta, and is what the group conceptually develops, using the delta blues raw material for various transfigurations.
Vaia will be released virtually on November 19 by Sê-lo! Netlabel, , followed by a concert in Rio de Janeiro (November 29 at Audio Rebel) and shows in São Paulo.

Ouça no Bandcamp:
www.selonetlabel.bandcamp.com/album/vaia-ep

Ouça no Youtube:
www.youtube.com/watch?v=p42–Ap3LKs&t=3s

Padrão

Interregno Trio

Três artistas ligados ao Sê-lo!, neste que é um dos maiores festivais de música exploratória da américa latina! Interregno Trio no Festival Novas Frequências!!

“Estamos em um estado de interregno, entre uma etapa em que tínhamos certezas e outra em que a velha forma de atuar já não funciona…”

O trio formado pelos baianos Edbrass Brasil e João Milet Meirelles e o paulistano Romulo Alexis une as sonoridades do sopro, pesquisas sobre Walter Smetak, o live electronics e suas produções em composição instantânea.

O encontro dos três músicos abre várias possibilidades sonoras, com enfoque no drone, no ambient e no free jazz, num jogo entre instrumentos de sopro adaptados em diálogo com as técnicas de manipulação de timbres em tempo real da música eletrônica. #nf2016.

14962694_1180248368680961_7807583752295832848_n

Padrão

Mostra de Música Experimental da Bahia

14708287_1786571604935569_1671234163623766957_n

 

Com curadoria do Sê-lo! Netlabel, a Mostra de Música Experimental da Bahia visa apresentar aos paulistas um panorama do que anda acontecendo na cidade de Salvador nos últimos anos, com artistas das mais variadas linguagens.

Serão seis músicos baianos apresentando seus trabalhos solos, coletivos e em colaborações com artistas de São Paulo. Destacando dois artistas do Selo Al Revés e o duo Radio Diaspora, cujo primeiro album foi lançado pelo Sê-lo! em 2016.

A Bahia tem história no campo da música experimental e de vanguarda. A Escola de Música da UFBA é reconhecida nacionalmente como uma das mais inventivas nessa linha, tendo passado por ela figuras como Walter Smetak, Hans-Joachim Koellreutter, Ernst Widmer, Jamary Oliveira, Agnaldo Ribeiro, Tuzé de Abreu e Tom Zé.

Essa informação influenciou algumas bandas identificadas com o punk-rock no final dos 80 e início dos 90. Bandas como Pulsa, Crac!, Tritor, Guizzmo, Lisergia, Dever de Classe e algumas outras se destacaram no quesito experimentalismo e abriram as portas da música torta para as novas gerações.

Atualmente essa cena conta com músicos de perfis distintos, mas que cada vez mais tem dialogado entre si e criado situações de singularidade no centro e periferia da cidade. Nessa primeira mostra estarão Bruno Rohde, Edbrass, George Christian, Heitor Dantas, Jan Alatac e Orlando Pinho.
2016, em particular, foi um ano intenso para esses artistas, com eventos como o Nunada, Dominicaos, Largo e Novas Escutas acontecendo regularmente e apresentações de artistas de renome nacional e internacional como Maurício Takara, Peter Brötzmann, Lee Ranaldo e Peter Jacquemyn, trazidos pela Low Fi – Produtora.
29 de outubro
Oco do Àtomo e Plasmáveis (convidado: George Christian)
Sê-lo! convida Al Revés: Bruno Rohde + Jan Alahtac + Edbrass + Alexandre Marino + Bruno Hiss

30 de outubro
Bruno Rohde + Jan Alahtac
Sê-lo! convida Radio Diaspora: George Christian + Heitor Dantas + Rômulo Alexis + Wagner Ramos

serviço:
estúdiofitacrepeSP
rua da consolação, 2582
sábado, 29.10
domingo, 30.10

16h: abertura estúdio
17h: apresentação

INGRESSO COLABORATIVO
preço sugerido R$20,00
(só aceita dinheiro)

Padrão

NUNADA – Encontros de Improvisação Livre

14183923_1226932667358520_2600754146586553969_n

 

O Sê-lo! é uma netlabel que trabalha com artistas de música experimental ou que estejam testando os limites dos formatos de música mais conhecidos.
Apesar do termo experimental não definir estilisticamente qualquer obra, há de se notar que, no Brasil, artistas independentes cada vez mais se interessam por caminhos menos óbvios de composição e improvisação, assim como outras sonoridades.
Percebendo que em Salvador há um número considerável de músicos com esse perfil, o Sê-lo! propõe a partir de agosto o encontro Nunada, cujo a idéia é reunir pessoas interessadas nessa tal música experimental com ênfase na improvisação livre.

 

Serviço: Nunada (Encontros de Improvisação Livre)
Quando: 08 de setembro de 2016
Local: Casa Preta
Horário: 19h as 22h
Ingressos: R$10,00

 

Mais Informações no evento do FB:

https://www.facebook.com/events/334106896928522/

 

 

 

 

Padrão

New Release!

_DSC0102-1(edit) copy

EP saxcretino // André Borges

Saxcretino é uma mangueira de 1.2m de comprimento com uma boquilha de saxofone numa extremidade e a parte superior de uma garrafa PET na outra. Saxcretino também é o meu pseudônimo, a minha maneira de tocar saxofone e o título do EP.

As faixas são inspiradas no ser humano do tempo presente, no que sinto, vejo e ouço. Mais especificamente, são fragmentos do que sinto como ser vivo, pulsante e sonoro nas faixas 2 e 3 e 5 (1Ziriguid1, Comin’ Back in 5 e Samba de Vento) e do que vejo e ouço como ser social, nas faixas 1 e 4 (Da loja Pro Lixo e Sofá e TV).

Sem ter compromisso com perfeição técnica, pureza estética ou sonoridade específica, as 5 faixas expressam a combinação entre instrumentos não convencionais e instrumentos tradicionais da música ocidental numa linguagem popular com células rítmicas em combinações não habituais. Os instrumentos microtonais utilizados na gravação foram produzidos por mim com material encontrado no lixo e são inspirados nos instrumentos  não-nobres do de-compositor Anton Walter Smetak.

Com produção não ortodoxa, o projeto teve os saxofones (tenor, alto e soprano), vozes, berimbau com cabaça de papel machê, instrumentos microtonais de sopro e percussão (cylindrol, saxcretinos, flautas caboclo, boréu, tambor de mola), o meu coração e a minha respiração gravados em casa, tendo eu assumindo simultaneamente as funções de técnico de gravação e músico ao estilo “faça você mesmo”, o que só foi possível com o suporte dos recentes avanços tecnológicos na área de produção musical. Também preparei os loops de percussão tradicional brasileira, bateria eletrônica e instrumentos de base com  samples e controlador MIDI. Contei com a participação local de Fernando Machado no violão na faixa “Samba de Vento” e a participação intercontinental de Nancy Viegas nos vocais em “1Ziriguid1. Utilizei um sax alto Yamaha YAS 25 e um Buescher, ambos com uma boquilha Dukoff M6 alterada com cimento odontológico, um sax tenor Yamaha YAS 275 com boquilha Otto Link Super Tone Master n.8 e um  sax soprano Pierret com uma boquilha bari n.6 e palhetas Rico Royal n.3. O som do coração foi captado através de um hibrido entre estetoscópio e microfone condensador desenvolvido por mim para performances ao vivo com os sons internos do corpo humano.

Texto: André Borges

Foto: Rafael Ribeiro

Download: www.selonetlabel.bandcamp.com/album/saxcretino

Find out more about the artist at www.saxcretino.com

Padrão

Nunada

Nunada: Encontros de Improvisação Livre

O Sê-lo! é uma netlabel que trabalha com artistas de música experimental ou que estejam testando os limites dos formatos de música mais conhecidos.
Apesar do termo experimental não definir estilisticamente qualquer obra, há de se notar que, no Brasil, artistas independentes cada vez mais se interessam por caminhos menos óbvios de composição e improvisação.
Percebendo que em Salvador há um número considerável de músicos com esse perfil, o Sê-lo! propõe a partir de agosto o encontro Nunada, cujo a idéia é reunir pessoas interessadas nessa tal música experimental com ênfase na improvisação livre.
As sessões de improviso serão gravadas e lançadas pelo Sê-lo! acompanhadas de material gráfico.

Na estréia teremos a participação do experimentador Guilherme Darisbo (RS).

 

14011775_1043098932434448_1477470373_n

Padrão

Art Talks

Art Talks é uma série de palestras e oficinas realizada pelo Sê-lo! Netlabel, desta vez em parceira com a Plataforma LARGO e Flotar, contando ainda com o apoio do Teatro Vila Velha.

Programação:

15-07 RADIOARTE :: Palestra com Janete El Hauoli e José Augusto Mannis + Mostra

Para a sua abertura, nada menos que dois especialistas em arte sonora e práticas expandidas de rádio: Janete El Haouli e José Augusto Mannis. Os pesquisadores estarão no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha, compartilhando com o público soteropolitano suas múltiplas experiências na área, a partir da questão “ O que significa fazer Rádio hoje”?

Na ocasião, irão mostrar a recente peça ‘sound-piece: in memoriam Decio Pignatari’, composta por ambos, a convite do compositor espanhol Jose Iges para a ORF Kunstradio Radiokunst (Áustria), premiada no Concurso Internacional de Rádio, Mexico, 2014. Em seguida, daremos prosseguimento ao encontro com uma mostra de radioarte com peças de produtores de São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Sintoniza!

16-07::::::: Palestra
EM BUSCA DA VOZ-MÚSICA DE DEMETRIO STRATOS, por Janete El Hauoli + Performance INVOCAÇÕES – Lançamento do Cd de ORLANDO PINHO

No dia 16/07, sábado, a pesquisadora Janete El Haouli fará uma palestra sobre a voz-música de Demetrio Stratos, e sua contribuição para a música vocal do séc. XX. Janete El Haouli é autora do livro Demetrio Stratos: em busca da voz-música, publicado na Italia (1999), no Brasil (2003) e Mexico (2006). Os participantes terão o privilégio de conhecerem uma das mais perturbadoras e importantes personalidades da música contemporânea: Demetrio Stratos, cantor e performer egípcio-grego-italiano, falecido em 1979, cuja obra permanece como uma das mais ricas investigações sobre a voz no século XX.

Em seguida, Orlando Pinho e convidados conduzirão uma performance vocal coletiva, a partir do seu disco “Invocações”, lançado em dezembro de 2015, pelo Sê-lo! Netlabel. Neste dia estaremos lançando as edições fìsicas do CD, produzido por Heitor Dantas e com arte de Caio Araujo, a partir das fotos de Nathalia Miranda.

Sobre os palestrantes:

Janete El Hauoli
Musicista, radioasta, artista sonora, produtora cultural e professora na Universidade Estadual de Londrina-UEL, Departamento de Música e Teatro (1981_2011). Graduada em Música (piano), mestrado em Ciências da Comunicação e doutorado em Artes, ambos pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutorado pela Escola de Musica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Criou e coordenou o programa radiofônico ‘Música Nova – rádio para ouvidos pensantes’ (1991_2005); o ‘Núcleo de Música Contemporânea’ (1993_2008), além de dirigir a Rádio UEL FM (2001_2005), a Casa de Cultura da UEL (2007_2010) e o Setor de Informação e Comunicação do Centro Cultural São Paulo (2012). Criou e dirige o espaço cultural TOCA : arte ação criação em Londrina, desde fevereiro de 2013.Idealizou, coordenou e participou de atividades pedagógicas, de criação e de pesquisa na área da experimentação vocal, da arte radiofónica e da ecologia sonora, apresentando-os em congressos, fóruns, bienais e encontros nacionais e internacionais. Publicou artigos sobre rádio, paisagens sonoras, ecología sonora e o livro-CD ‘Demetrio Stratos: em busca da voz-música’ na Itália em 1999 (5ª edição), no Brasil (2003) e no México (2006). Desenvolveu projetos comissionados de criação radiofônica para a WDR de Colônia (StratoSound) e DeutschlandRadio de Berlim (Brasil Universo). Estes e outros trabalhos foram apresentados na Finlândia, Rússia, Itália, Suíça, México, França, Uruguai, Espanha, Portugal, entre outros. Integra o Collectif Environnement Sonore (France,
Suisse).

José Augusto Mannis (1958 – São Paulo, Brasil)
Compositor, performer eletroacústico, sound designer, professor universitario, pesquisador. Suas composições abrangem os mais variados gêneros: música instrumental, eletroacústica, trilhas para vídeo, cinema, teatro, criações radiofônicas e instalações multimeios. Idealizou e implantou no Brasil o Centro de Documentação de Música Contemporânea (Unicamp) em cooperação com o Centre de Documentation de la Musique Contemporaine – Cité de la Musique, França (Radio France, SACEM e Ministério da Cultura da França). Desenvolve pesquisas no campo da música, acústica, engenharia de áudio e da ciência e tecnologia (acústica e ciência da informação) aplicadas à música, incluindo biblioteconomia (catalogação de documentação musical em sistemas automatizados (Z39.50), acústica de salas (autor de tecnologia patenteada e licenciada pela Unicamp), e bioacústica (dispositivo multicanal de registro sonoro e métodos análise do sinal). Estudou na Faculdade de Engenharia Industrial – FEI, no Instituto de Artes da UNESP, Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, Universidade de Paris VIII (mestrado, 1997) e Unicamp (doutorado, 2008) onde ensina composição, contraponto, áudio e acústica. É membro da Academia Campineira de Música, Audio Engineering Society – AES, Sociedade Brasileira de Acústica – SOBRAC, Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música – ANPPOM, Associação Brasileira de Educação Musical – ABEM, Sociedade Brasileira de Computação – SBC e Aliança Francesa de Campinas.

Serviço: Art Talks

15/07 // Palestra Radioarte, com Janete El Haouli e José Augusto Mannis, das 14:30 as 16h + Mostra de Radioarte, das 16:30 as 18h. Local: Cabaré do Novos, entrada livre. Não é necessária inscrição prévia.

16/07 // Palestra: “Demetrio Stratos: em busca da voz-música”, com Janete El Haouli (14:30 as 16:00) + Performance: Invocações, com Orlando Pinho e convidados (17 as 18h). Sla João Augusto, Teatro Vila Velha. Para convidados.

 

Art Talks 1     Art Talks 2

Padrão

Tabuão, Feira de Impressos

Estaremos expondo CDs, camisas, cartazes e zines nessa feira incrível.

Mobilizar a produção e divulgação de impressos criativos por meio de um trânsito entre técnicas antigas e novas. Explorar as inúmeras possibilidades impressas que temos para apresentar um produto, cativar o leitor, transmitir uma mensagem, uma imagem, ou até, quem sabe, um silêncio.

Os idealizadores | A Sociedade da Prensa e o Movimento Contínuo são dois coletivos formados por artistas baianos. Em abril de 2015, estiveram juntos na realização da 1o Feira de Publicações Independentes, que aconteceu durante o 2o Festival de Literatura e Ilustração da Bahia. A Sociedade da Prensa é um ajuntamento coletivo curioso em soluções gráficas artesanais e técnicas de impressão em atuação na cidade desde 2013. Os artistas Flávio Oliveira, Laura Castro e Tiago Ribeiro compõem esse ajuntamento. A Movimento Contínuo é uma editora criada pela educadora e ilustradora baiana Flávia Bomfim. A Movimento Contínuo dedica-se à publicação de ensaios fotográficos e narrativas ilustradas. Promoveu duas edições do Festival de Ilustração e Literatura da Bahia.

Esta é a TABUÃO – Feira de Impressos que acontece em Salvador nos dias 9 a 12 de junho, no Palacete das Artes, na Graça.

Para saber mais acesse o facebook da feira.

13406941_1742873469257644_4765812806299404369_n

Padrão